Notícias Notícias

Voltar

Pós Graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação promove defesa de dissertação de mestrado amanhã (16)

O trabalho é de autoria de Benevides Bonavides de Araújo

O Programa de Pós Graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação da UFPE promove defesa de dissertação de mestrado de Benevides Bonavides de Araújo, amanhã (16), a partir das 10h30. A apresentação acontecerá de forma remota, através da plataforma Google Meet, e os interessados em assistir devem entrar em contato com o programa de pós-graduação através do e-mail pgcgtg@gmail.com. É recomendado aos que se entrem na sala virtual com o microfone e câmera desligados.

Com o título “Evolução Espaço Temporal da Zona Costeira nas Décadas de 1970 – 2016 e sua Implicação na Área Não Edificante no Município do Jaboatão dos Guararapes, PE/Brasil”, o trabalho contou com a orientação da professora Maria das Neves Gregório. A banca examinadora também terá o professor Francisco Jaime Bezerra Mendonça (UFPE) e Marcia Cristina de Souza Matos Carneiro (tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas do IGBE).

Resumo

A presente pesquisa tem o objetivo de analisar a evolução espaço temporal da área litorânea do município do Jaboatão dos Guararapes, PE/Brasil, a partir da linha de ocupação em relação ao ambiente praial e sua implicação na área não edificante nas décadas de 1970 – 2016. A área de estudo foi dividida em cinco setores distribuídos de sul para norte, nos quais foram feitas análises espaciais visando entender a dinâmica da interação entre o ambiente praial e a ocupação antrópica. A análise considerou três intervalos 1974-1981, 1974-1997 e 1974-2016. Para determinar a evolução da linha de ocupação e da linha de costa, foram utilizadas fotografias áreas dos anos de 1974, 1981, 1997 e 2016 obtidas junto Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco Condepe Fidem, em formato digital, na escala 1: 6.000, 1:10.000, e foram georreferenciadas no Software ArcGIS 10.1, e as taxas calculadas na extensão Digital Shoreline Analysis System (DSAS) v5 e no Statistic7. A determinação da profundidade de fechamento foi realizada a partir da equação empírica de Hellermeier (1981), e a largura da faixa não edificante através da aplicação da lei de Bruun. Os resultados mostraram que houve um avanço da linha de ocupação de 1,18 m e 10,90 m no Setor 1 nos períodos 1974-1981 e 1974-1997. Nos setores 2, 3, 4 e 5, assim como no setor 1, as maiores médias de avanço da linha de ocupação foram observadas no período 1974-1997, mostrando que a maior ocupação no ambiente praial aconteceu no final da década de 90. No setor 3, a linha de ocupação do período 1974-1981 variou de - 8 m à 5 m/ano, expressando tanto recuos quanto avanços; para o período 1974-2016, só apresentou avanços na linha de ocupação. O setor 4 teve como menor valor encontrado 0.90 m/ano no período 1974-2016. No setor 5, os valores médios variaram de 9,96 m/ano no período 1974-1981 a 12,49 m/ano no período 1974-1997, mostrando que a linha de ocupação, mesmo sendo formada por estruturas rígidas, muda com o tempo de acordo com a pressão antrópica sofrida por esse meio. Para o cálculo da distância da área não edificante, levando-se em consideração a elevação do nível do mar de 0,13 m, para o ano de 2030, os resultados foram de 9,50 m para o setor 1; 5,69 para o setor 2; 6,11 m no setor 3; e os valores de 19,24 m e de 20,45 m nos setores 4 e 5, respectivamente, mostrando assim que a linha de ocupação é um importante ferramenta para avaliação entre a linha de costa, e a área não edificante, e que, dependendo da posição das mesma, haverá ou não, a instalação de um processo erosivo.

Data da última modificação: 15/09/2021, 21:31

Contato Contato

Secretaria

UFPE - Universidade Federal de Pernambuco CTG - Centro de Tecnologia e Geociências / Escola de Engenharia de Pernambuco Rua Av. da Arquitetura, s/nº CEP - 50740-550

(81) 2126 8200 / 2126 8700
Para alunos - formulário

Localização Localização