Voltar

Simpósio sobre retinoblastoma promove intercâmbio de conhecimento

Evento ocorreu dentro da programação do 26° Congresso Norte-Nordeste de Oftalmologia

Foto: Unidade de Comunicação do HC/Ebserh

Equipes do HC e do Lika participaram do evento

O Simpósio Internacional Retinoblastoma em foco promoveu o intercâmbio de conhecimento, experiência e inovação no diagnóstico e tratamento desse câncer ocular que acomete, principalmente, crianças. E também estimulou o público a refletir sobre a importância dos trabalhos desenvolvidos na área, das parcerias e do impacto do tratamento na vida dos pacientes a curto, médio e longo prazo. O evento, promovido e coordenado por profissionais do Hospital das Clínicas da UFPE, ocorreu, na quinta (13), dentro da programação do 26° Congresso Norte-Nordeste de Oftalmologia que foi até domingo, no Enotel, em Porto de Galinhas (a cerca de 60 km do Recife). 

O simpósio contou com grandes nomes da área, a exemplo do professor Miguel Burnier, da McGill University, e profissionais do Instituto Nacional de Câncer, do Laboratório de Imunologia Keizo Asami (Lika) da UFPE e do Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC-PE), além dos profissionais do Hospital das Clínicas da UFPE.

A superintendente do HC, Sylvia Lemos Hinrichsen, realizou a abertura do simpósio, ressaltando a importância do evento. A gestora, no cargo há cerca de três meses, aproveitou a oportunidade para apresentar brevemente a sua proposta de gestão. “O foco é na qualidade da assistência e na segurança do paciente, tendo uma abordagem transversal com processos sistematizados, de qualidade, associados ao ensino e à pesquisa, trabalhando a ciência como insumo”, resumiu.

Os oftalmologistas do HC Virgínia Torres e Francisco Cordeiro estiveram entre os coordenadores e foram palestrantes. A primeira explanou sobre o “Projeto Retinoblastoma do HC-UFPE” e o segundo falou sobre “Novas perspectivas na reconstrução da cavidade anoftálmica”. O chefe da Radiologia Intervencionista do HC, Láecio Leitão, explicou a “Quimioterapia Intra-Arterial para Retinoblastoma (Quiare) do HC-UFPE” – um procedimento complexo realizado em poucos hospitais do país, sendo o HC um deles.

O encontro contou ainda com a participação do professor Miguel Burnier, da McGill University. Ele deu uma verdadeira aula, traçando um panorama mundial da doença, as principais pesquisas que vêm sendo feita, compartilhou a sua experiência e a importância do diagnóstico precoce. Os convidados do Instituto Nacional de Câncer, do Rio de Janeiro, Hugo Goveia e Nathália Grigorovski apresentaram o trabalho desenvolvido no Inca, os seus desafios e os resultados.

O simpósio teve ainda apresentações do oftalmologista Andresson Figueiredo (Aspectos histopatológicos e fatores prognósticos/ Retinoblastoma: efeitos pós-tratamento), da oncologista do GAC-PE, Adriana Morais (Diretrizes de terapias nos tumores extraoculares/ Efeitos tardios do retinoblastoma) e da pesquisadora do Lika Danyelly Bruneska, que fez uma análise genética do retinoblastoma, ressaltando a relevância dos biomarcadores clínicos.

Data da última modificação: 17/02/2020, 13:18