Voltar

HC comemora o Dia Mundial de Segurança do Paciente

Foi realizada uma dinâmica na Portaria 1 com uma roleta de perguntas relacionadas às práticas de segurança do profissional e do paciente

Hoje, 17 de setembro, é o Dia Mundial de Segurança do Paciente, e a data não passou em branco no Hospital das Clínicas da UFPE, unidade vinculada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). A equipe do Setor de Gestão de Qualidade e Vigilância em Saúde do hospital universitário realizou, pela manhã, uma divertida dinâmica com o objetivo de testar os conhecimentos dos profissionais sobre as práticas de segurança do paciente. O grupo também fez uma atividade educativa itinerante, ressaltando a importância da higienização adequada das mãos. A campanha, neste ano, tem como tema “Segurança do trabalhador da saúde: uma prioridade para a segurança do paciente”, tendo em vista a importância dessa prática, em especial, no enfrentamento da pandemia de Covid-19.

Foto: Unidade de Comunicação do HC/Ebserh

Atividades ajudam a divulgar política de práticas assistenciais seguras

“O Dia Mundial de Segurança do Paciente, instituído pela OMS, tem o intuito de disseminar a política de práticas assistenciais seguras, sensibilizando pacientes, profissionais, professores, alunos e a sociedade civil, sobre a importância da experiência do paciente nas instituições de saúde para que essa assistência seja voltada e direcionada para práticas com segurança, minimizando a ocorrência de danos e riscos aos pacientes”, explicou o chefe do Setor de Gestão de Qualidade e Vigilância em Saúde do HC, Danylo Palmeira.

A chefe da Unidade de Gestão de Riscos Assistenciais (Ugra) do HC, Adélia Monteiro, acrescentou que comemorar a data é de extrema importância para enfatizar a necessidade de prevenir os incidentes que causam danos ao paciente, decorrente de falhas na assistência à saúde, chamados “eventos adversos” que, na sua maioria, são evitáveis. “A falta de segurança do paciente nos serviços de saúde é considerada um problema de saúde pública”, disse.

No HC, foi realizada uma dinâmica na Portaria 1 com uma roleta de perguntas relacionadas às práticas de segurança do profissional e do paciente. Depois da ação, foi feita uma atividade itinerante, a fim de ressaltar a importância da higiene adequada das mãos. Na ação, foi utilizada um equipamento intitulado “Caixa Pedagógica” que identifica a presença de sujidade nas mãos, por meio da substância luminol. “O objetivo da dinâmica é levar os profissionais a refletirem sobre a importância de um ato tão simples que é a higienização das mãos, mas que é tão eficaz para o combate das infecções”, salientou Adélia Monteiro.

Neste contexto de pandemia de Covid-19, essas práticas de segurança têm sido ainda mais disseminadas e essenciais para garantir a segurança dos profissionais e dos pacientes, garantindo uma assistência de qualidade.

SEGURANÇA – O HC tem investido e buscado desenvolver a cultura de segurança do paciente e dos profissionais e trabalhar as seis metas internacionais de segurança que são: a correta identificação do paciente; comunicação efetiva; melhorar a segurança dos medicamentos de alta vigilância; cirurgia segura; redução do risco de infecções associadas aos cuidados em saúde e prevenção de danos decorrentes de quedas.

Data da última modificação: 17/09/2020, 17:33